3 de set de 2016

A Santa dos Pobres



O catolicismo tem uma particularidade de usar pessoas como instrumentos da fé, os santos. Estes santos são de vários lugares do mundo e que ficaram conhecidas por aproximar as pessoas da igreja. Uma das pessoas mais conhecidas e respeitadas do Mundo se tornará santa neste domingo. A famosa Madre Tereza de Calcutá, semeadora da paz e da igualdade e fraternidade entre as pessoas, será canonizada pelo Papa Francisco no Vaticano, numa cerimônia aguardada por todo o mundo.

Madre Tereza é de origem albanesa e foi para a Índia nos anos 40 enviada por sua congregação, As Irmãs de Nossa Senhora de Loreto, desenvolvendo um trabalho junto as comunidades pobres de Calcutá. Sua marca registrada foi a de buscar sempre a paz no mundo e ajudar os mais necessitados. Lutou para melhores condições de vida em sua cidade, principalmente, o tratamento de doenças como Tétano e Difteria. Por seu trabalho, a religiosa ficou conhecida no mundo todo e ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1979 e faleceu em 1997, mas até hoje tem sua memória e seus ensinamentos preservados e divulgados pelo mundo.

O processo de Madre Tereza para virar uma santa começou em 2002, no ano seguinte, foi beatificada e amanhã será canonizada, que é a cerimonia para uma pessoa virar santa. Para a Madre virar santa, o Vaticano examinou casos em que a pessoa reza para Tereza e acontece um milagre, melhora sem explicação da ciência para a enfermidade. Dentre os casos que fizeram Madre Tereza ser santa, está a de um brasileiro que recebeu a intercessão da Santa e curou de uma infecção gravíssima no Cérebro. 
 
Termino o texto com uma frase para refletir de Madre Tereza

“Todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. As palavras que não dão luz aumentam a escuridão.” Madre Tereza de Calcutá

12 de mai de 2016

O Impeachment



Demorou, mas o PT e seu governo de 13 anos sofreram uma derrota decisiva. O Impeachment foi aprovado pelo Senado Federal e a Presidente Dilma saiu do poder, talvez, de forma provisória,  mas uma mudança já está em curso com o governo de Michel Temer, o vice que foi conduzido a Presidencia por conta do afastamento de Dilma.

Vou falar o que eu penso neste texto como jamais falei a respeito deste assunto. A Presidente afastada só está nesta condição porque é fraca politicamente, foi alçada ao poder pelo seu antecessor, o Presidente Lula, e não foi preparada para tal função. Dilma foi uma aposta pessoal de Lula, que foi muito errado. As pedaladas fiscais, tal fundamentação jurídica para o fato, aconteceu, mas é prática corriqueira de governos por todo o Brasil.

O que aconteceu com Dilma foi fruto da falta de jeito com a política e com a governança no Brasil. De fato, a petista sai da presidência, como uma pessoa que  se mostrou incapaz de governar o Brasil, um estado-continente, com mais de 200 milhões de habitantes.

O seu sucessor, Michel Temer, tem a dura missão de consertar o estrago feito por Dilma e os seus companheiros de partidos, roubalheira na Petrobrás, recessão e desemprego fortes. O Brasil pode ressurgir, se vai eu não sei, mas tem todas as condições para isto, realizar reformas pendentes como a da previdência, a tributária e a trabalhista.

A nós que queríamos a saída dessa turma de vermelho, cabe fiscalizar e cobrar do novo presidente, e se fizer alguma coisa de errado, voltar as ruas para protestar. Estamos de olho Temer.


29 de abr de 2016

O cuspe da intolerância



O Brasil tem vivido momentos de efevercência política por conta do processo de Impeachment da Presidente Dilma Rousseff. Disto falarei em outra oportunidade, mas o motivo que me vem a este blog é o fato de que na última semana, dois acontecimentos desagradáveis aconteceram com uma coisa humana, mas muito ruim, o cuspe e por conta de ideologias políticas.

Na votação do Impeachment, no plenário da Câmara, o deputado e ex-big brother, Jean Willys (PSOL-RJ), um grande defensor das causas LGBT, cuspiu no seu colega e antigo desafeto, Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O motivo da cusparada foi o fato de que Bolsonaro, em seu voto, exaltou o Coronel Ulstra, já falecido, que foi um torturador na ditadura militar. O segundo fato ocorrido envolveu o ator José de Abreu em um restaurante de São Paulo, que cuspiu em um casal que o insultou por ser favorável ao governo que está de saída. Sim, acho que Dilma será tirada do poder,  mas isto não vem ao caso.

O cuspe é uma coisa tão humilhante para quem recebe, é como uma agressão física para uma pessoa. E já tivemos inúmeros casos no esporte, na política, enfim, condeno qualquer tipo de violência e ainda mais esta. Nos tempos de disputa política ferrenha como o que estamos vivendo, o cuspe se torna um símbolo de intolerância com o diferente, no mundo, devemos ser tolerantes com os que pensam diferente da gente e não sair desferindo cusparadas por aí.

17 de mar de 2016

A metamorfose de Brasília



O Brasil tem vivido uma crise política e econômica sem precedentes, a cada dia tem novas coisas que estão mexendo com o Brasil. O que transforma o Brasil e seu governo, de 12 anos do PT , num caldeirão efervescente e que envergonha as pessoas de bem, deixando o mundo perplexo. 

Brasília está a um ponto de explodir, assim como o Brasil, por conta dos últimos acontecimentos da crise política. São tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que são ligadas no cume do governo Dilma e da crise política, que chamo de metamorfose no Congresso. Estamos numa fase crítica jamais vista na história brasileira. É senador preso e acusando todo mundo, no caso do Delcídio Amaral e sua delação premiada, que estremeceu as bases da política brasileira, é ex-presidente investigado assumindo ministério para ganhar foro privilegiado, é juiz divulgando escutas telefônicas envolvendo presidente da república, enfim, várias coisas que vem entristecendo o nosso país. 

Por muitas vezes, expus minha opinião com liberdade, de alguém que acompanha a política e a vida do país. O que está acontecendo é algo estarrecedor, onde já se viu uma pessoa investigada ganhar um ministério, como o Lula ganhou a Casa Civil, só aqui no Brasil acontece essas coisas. Não vemos ninguém com caráter que possa assumir a liderança e retomar os rumos do país, na época do Impeachment do Collor tínhamos uma figura como Ulysses Guimarães que era uma liderança íntegra que lutou a favor do povo. 

Hoje, com quase todo mundo emaranhado na lama da corrupção tanto por parte do governo como por parte da oposição, falta esse líder. Vivemos uma crise sem precedentes, política, a beira do segundo impeachment de um presidente em 24 anos, econômica, com recessão forte, o país andando para trás, e, principalmente, de identidade, quem é o Brasil?

Certamente, um dia iremos passar desta crise, esperamos que a população consiga reerguer a nação com sua união e aquela vontade de que brasileiro não desiste nunca, que podemos reverter o momento ruim.